2 de mar de 2007

Brasil e Angola querem maior cooperação ambiental no Hemisfério Sul

26/02/2007
Rafael Imolene


Representantes do governo angolano se reuniram nesta segunda-feira (26) com o secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente, Claudio Langone, em um esforço para estreitar a cooperação na área ambiental entre os países do Hemisfério Sul. A reunião, realizada no edifício-sede do MMA, em Brasília, teve como foco o tema educacional e a integração dos países de Língua Portuguesa.

De acordo com Langone, representando a ministra Marina Silva, a agenda ambiental está muito restrita à relação bilateral entre os países do Hemisfério Norte e do Hemisfério Sul. "Isso precisa mudar. Devemos investir mais na interação Sul-Sul. Temos muitos conhecimentos para compartilhar", disse. "Inclusive os países do nosso Hemisfério têm condições de propor ajuda aos vizinhos do Norte, mas só tem acontecido o contrário. O biodiesel é um exemplo da nossa capacidade de gerar tecnologia própria", afirmou o secretário-executivo.

Participaram da reunião representantes dos Ministérios da Educação do Brasil e de Angola, bem como autoridades do Ministério da Saúde do país africano e o ministro conselheiro da Embaixada de Angola no Brasil, Oliveira Francisco Encoge. "Angola é um país jovem e estamos iniciando os programas ambientais. A cooperação brasileira é muito importante nessa fase inicial", afirmou Encoge.

A chefe do Departamento de Educação e parceria Ambiental, Joaquina Braz Gaetano, do Ministério do Urbanismo e Ambiente de Angola, ressaltou ser necessário investir nas novas gerações. "Além de conscientizar os adultos, estamos preparando os jovens angolanos a pensarem no desenvolvimento sustentável", disse. A reunião marcou o início dos trabalhos integrados entre autoridades dos dois países, que continuarão pelos próximos dias.

A Angola, localizada na costa oeste africana, integra a Comunidade dos Países de Língua Portuguesa. Era uma colônia de Portugal até 1975, quando conquistou a independência em meio a uma guerra civil iniciada em 1971 e encerrada apenas em 2002. O país está dividido entre uma faixa costeira árida, que se estende desde a Namíbia até a capital Luanda, um planalto interior úmido, uma savana seca no sul e uma floresta tropical ao norte. Importantes afluentes do rio Congo têm suas nascentes em território angolano.

ASCOM

Nenhum comentário: