16 de jul de 2007

Sala Verde de Itapeva



Itapeva é hoje, uma das maiores concentrações urbanas da Região Sudoeste do Estado de São Paulo, com seus 99.743 hab., Estimativa Populacional IBGE-2006, distribuídos numa área de 1.882 Km², fazendo divisa com os seguintes municípios: Itaí, Paranapanema, Capão Bonito, Guapiara, Ribeirão Branco, Buri, Taquarivaí, Nova Campina, Itararé e Itaberá.

É dentro dessa perspectiva que propusemos o projeto Sala Verde na Mata do Carmo.

A Mata do Carmo esta localizada em área central de Itapeva. Além disso, algumas partes da mata foram invadidas, pelas empresas e moradores vizinho.
Propusemos, então, a demarcação em toda sua extensão, para que pudéssemos cercar toda a área.

Assim, ao que seria um espaço de pequeno porte retificado, conseguiremos dar novas proporções, fazendo com que a área tenha uma integração mais adequada com o bosque, enriquecendo enormemente a Sala Verde, tanto paisagisticamente, como pelo seu uso recreativo.

Com essas condições, teremos retomado a Mata do Carmo, hoje transformada num grande deposito de lixo, abrigo de marginais. Com o projeto, apropriamos devidamente a natureza, trazendo a Mata do Carmo ao convívio urbano e marcando culturalmente a presença do homem.

Nos estudos mais recentes que elaboramos, cerca de 200 pessoas deverão freqüentar o espaço da Sala Verde em fins-de-semana e nos dias de semana 100 pessoas/dia.

Na nossa proposta, preocupando-nos em desenvolver a educação ambiental e não estimular o lazer consumo, propôs dois tipos de equipamentos. O primeiro é voltado à população estudantil (Educação Ambiental), portanto mais diretamente beneficiada: O segundo tipo procurará atender ao interesse da população de toda a cidade: A Mata do Carmo esta localizada em uma área nobre da cidade, entre o centro (Avenida 20 de setembro), jardim America (Avenida Orestes Gonzaga) e o Jardim Ferrai III.

A área total da Mata do Carmo é de 38.000 m². A execução do projeto será feita por módulos com a execução das seguintes obras: Espaço fisico: Uma construção de 250m², toda construída em madeira de reflorestamento tratada, telha de barro, vidro e alicerce de pedra, com um hall de entrada, sanitários e uma enorme varanda. Lojinha de artesanato que possui grande variedade de objetos. Uma construção de 40m², redonda toda construída em madeira de reflorestamento tratada, telha de barro, vidro e alicerce de pedra. Oficinas: Confecções de materiais como calendários ecológicos, jogos ecológicos e máscaras ecológicas com reaproveitamento de materiais de embalagens, vassouras de garrafas pet, sacolas de lona, coador de pano e outros. A lanchonete ira servir somente os visitantes da Sala, e terá em seu cardápio alimentação saudável, o mais natural possível. Viveiro: produção de mudas de espécies nativas e exóticas ornamentais para serem doadas às escolas, comunidades e outras instituições; Museu vivo: plantio de diversas espécies de árvores nativas e exóticas, um verdadeiro “museu vivo”, que servirão para estudo; Passeios em trilhas ecológicas/desenhos: acompanhados de monitores, os quais devem estimular as crianças à curiosidade. Feito através da observação direta em relação ao ambiente, os desenhos tornam-se instrumentos eficazes para indicar os temas que mais estimulam a percepção ambiental do observador.

Em setembro de 2006 a cidade de Itapeva foi contemplada com o recebimento de uma Sala Verde através de proposta enviada pela Fundação Planeta Terra, em pareceria com a Prefeitura Municipal através da sua Secretaria Municipal de Recursos Hídrico e Meio Ambiente, ao Ministério do Meio Ambiente e selecionada pela Diretoria de Educação Ambiental.

O projeto Sala Verde foi aprovado junto ao MMA (Ministério do Meio Ambiente), neste segundo semestre e será implementada a partir do dia 09/09/2007. Este espaço busca instituir um centro de referência em informações sobre o meio ambiente e ações socioambientais locais. Destinado ao desenvolvimento de oficinas pedagógicas, palestras, mostras, experiências, dentre outras atividades - o espaço iria funcionar provisoriamente na Rua Minas Gerais 173, Vila Nossa Senhora de Fátima. Seu objetivo é atender às Organizações da sociedade civil, estudantes, profissionais, unidades escolares e a população em geral.

A Sala Verde de Itapeva recebeu o nome provisório de Verde Terra, mas a comissão pretende realizar um concurso publico para denominá-la definitivamente. Vale ressaltar que o trabalho para conquistar a Sala Verde, vem desde 2005, quando o então vereador hoje secretário de Recursos Hídrico e Meio Ambiente Paulo Saponga, esteve em Brasília no Ministério do Meio Ambiente em companhia do secretário de Geração de Renda e Empregos de Itapeva, Israel Antunes de Almeida onde conversaram com Mariana Dourado, tirando informações.

Teve prosseguimento com uma forte atuação do prefeito Luiz Cavani que não mediu esforços em apoiar o projeto dando toda cobertura que se fazia necessária para a conquista da Sala Verde para Itapeva, esteve junto em São Paulo em reunião com a ministra Marina Silva.




Nenhum comentário: